APOCALIPSE – O QUE REALMENTE IMPORTA

 

Jeferson Antonio Quimelli

 

            Apoc. 1:3: Bem-aventurado aquele que lê e bem-aventurados os que ouvem as palavras desta profecia e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.

 

 

            INTRODUÇÃO

 

           

            Ore comigo:

“Senhor, sonda o meu coração e vê a minha deficiência e necessidade. Que nestes momentos que passo contigo eu possa experimentar uma nova perspectiva de vida. Que eu possa agora, Pai, sentir que o Senhor me ama intensamente e que Seu maior desejo é me ver feliz, desenvolvendo e compartilhando contigo e com os outros o teu caráter de amor. Que ao reconhecer que tens todo o poder do Universo alocado para a minha salvação e bem-estar maior, aquieta meu coração, na certeza de que vais suprir todas as minhas necessidades, conduzir a solução dos meus problemas e transformar o meu coração, meu caráter, porque esse é o meu desejo, Pai, que agora expresso a Ti. Fica comigo, Pai, e transforma minha vida em uma vida cheia de bênçãos, pela Tua presença nela.

Peço isso, pelo Teu amor, demonstrado na encarnação, vida e morte de Jesus Cristo, Amém.”

 

            Eu acabei de voltar de uma grande e maravilhosa viagem.

            E como toda pessoa que retorna de uma grande viagem, está ansiosa por mostrar as fotos, recordações e contar os fatos mais importantes, interessantes e marcantes desta viagem.

            Esta fantástica viagem que eu fiz foi estudar todo o Apocalipse, versículo a versículo, a partir das lições da Escola Sabatina sobre o Apocalipse de exatamente 13 anos atrás, 1989. E eu gostaria de comentar com você o que eu vi de mais interessante e marcante nesta viagem.

            O mais importante que eu vi no estudo, não foi simplesmente o que eu aprendi, mas no que meus conceitos mudaram - algumas frases que eu li  mudaram minha perspectiva do livro, da Bíblia, da realidade.

 

Uma das frases que mais me marcaram, foi:

 

“Poucas pessoas estariam dispostas a pagar o preço total pelo jornal de ontem. Ao contrário de algumas coisas, as notícias não se valorizam com o passar do tempo. A Palavra de Deus é diferente. A cada dia que passa, sua mensagem torna-se mais importante. “ (Joseph Battistone)

 

A Bíblia está sempre, e cada vez mais, atual. Porque foi inspirada por Deus, que está acima de todo o conhecimento e poder, e conhece o final desde o princípio e nos conhece a fundo, pois nos projetou e criou.

 

 

O QUE MAIS IMPORTA NO APOCALIPSE

 

Qual é a mensagem importante a que esta frase se refere?

 

Uma vez uma senhora estava em um aeroporto esperando a sua conexão e decidiu sentar-se à espera de seu vôo. Depois de alguns momentos, absorta, decidiu que seria uma boa hora pra comer do pacote de batatas fritas que havia comprado e, virou-se e abriu o pacotinho que estava do seu lado e começou a comer.

Só que logo depois aconteceu uma coisa estranhíssima: o homem que estava do seu lado, com a maior cara lavada, pegou uma batatinha do pacote. Ela ficou incomodada, mas não disse nada. Só que a coisa continuou. Ela pegava um, ele pegava outro. E ainda sorria pra ela...

E ela olhava com a cara brava pra ele, e ele, lendo o seu jornal, parecendo nem se importar com a revolta dela. Só que aconteceu de chegar à última batata, a maior e mais bonita. Ele, com toda a naturalidade, percebeu isso, pegou a batata, partiu-a em duas e entregou metade a ela, comeu a sua metade, dobrou o seu jornal, despediu-se e foi embora.

Ela, aturdida, e sem saber o que falar, permaneceu pasma com a falta de educação, cavalheirismo e bom-senso do seu colega de banco.

Ao embarcar no seu avião, entretanto, ela abriu a sua bolsa para pegar a sua passagem e o que achou lá dentro? O seu pacote de batatinhas totalmente intacto...

 

Ela sim, tinha pego da refeição do outro, que muito gentil, não retrucou nem reagiu.

Na verdade, a errada era ela!

 

Como esta senhora, muitos de nós podemos estar revoltados com a coisa errada, colocando nossas energias e emoções em combater e se revoltar com o que não importa tanto, realmente.

 

Mas o que será que realmente importa no Apocalipse?

 

Será que seria sabermos identificar perfeitamente as duas bestas do capítulo 13? Ou a prostituta e a Babilônia dos capítulos 17 e 18?

Saber que as sete igrejas, os sete selos e as sete trombetas são visões interligadas e que  descrevem o mesmo período da história, a era cristã, sob seus aspectos religioso, social e militar?

Saber que os três parênteses onde serão mostrados os remidos por Deus, nos capítulos 7, 13 e 14, mostram na verdade o cuidado de Deus por Seu povo, enquanto os castigos caem sobre os que não O aceitaram?

Ou seria saber que o secamento do Rio Eufrates, em Apoc. 16:12, durante a sexta praga, na verdade significa a perda de apoio de Babilônia por parte das águas, ou do povo sobre a qual estava assentada?

Será ainda sabermos das duas ceias descritas no cap. 19: a ceia das bodas do Cordeiro (verso 9) e a grande ceia de Deus (verso 17 – de qual delas você quer participar?), onde as aves são convidadas para comer as carnes de reis, comandantes e poderosos, livres e escravos que resistiram a Deus, para que nos decidamos a participar da boda do Cordeiro?

Estes pontos são importantes, mas tem um que está acima deles.

Para mim três frases me fizeram descobrir o que realmente importa no Apocalipse, e eu gostaria de lê-las para vocês:

Sobre os capítulos finais, 21 e 22, que falam dos novos céus, nova Terra, Nova Jerusalém, o pastor Carl Coffmann, autor de uma das lições de 1998, escreveu:

 

...o livro do Apocalipse contém dois capítulos que tratam da vida futura... essa profecia é tão importante para a experiência cristã como as profecias anteriores sobre o conflito final acerca da marca da besta... (Ver Rom. 8:24 e 25; II Cor. 4:16-18; Heb. 11:13.) ...” LES893, p. 179

 

Porque os capítulos 21 e 22 tem tanta importância assim?

Veja este outro trecho do pastor Norman Gulley, autor da lição de 1996:

 

“Ao pensar nos eventos finais a ocorrerem no Planeta Terra, devemos focalizar em Quem está vindo, e não apenas no Que virá. Os eventos finais estão centralizados em Cristo e não nas crises.” – LES963, Lição 10, p. 1.

 

O pastor Vandeman falava que como uma mulher grávida pensa muito mais na criança do que nas dores do parto, que nós deveríamos colocar mais nossa atenção no Jesus que veremos e com quem viveremos, do que na crise que ocorrerá logo antes de Sua volta.

 

Apoc. 21 e 22 mostram o povo de Deus em total e plena proximidade de Deus e esta garantia da realização plena de nossos mais profundos anseios físicos, espirituais e emocionais nos fortalecem e ajudam a tirar os olhos dos problemas ecológicos, financeiros, políticos deste mundo, porque veremos a Deus, face a face – “Deus habitará conosco” - Apoc. 21:3.

 

O terceiro trecho que eu gostaria de mostrar a você foi escrito por Daniel Belvedere, o autor do Seminário “As Revelações do Apocalipse”:

 

“O Antigo Testamento profetizou acerca do Messias e os Evangelhos nos falam de Sua encarnação. Mas a não ser que conheçamos a revelação que Cristo faz de Si mesmo no Apocalipse, nossa compreensão da majestosa e sublime pessoa de Jesus será incompleta.” SRA/EP – p. 13.

 

Conhecer plenamente a Jesus é o que existe de mais importante no Apocalipse.

É isto que estas passagens destes profundos estudiosos da Bíblia querem dizer.

Em cada visão, cada acontecimento, cada versículo, devemos procurar a revelação que Jesus Cristo faz de Si mesmo, porque este conhecimento é que nos transforma, transforma a nossa vida e transforma o nosso futuro e das pessoas com quem nos relacionamos.

 

 

COMO CONHECER A JESUS NO APOCALIPSE

 

Existe, porém, uma diferença muito grande em aceitar teórica e intelectualmente a Jesus e aceitar prática e realmente a Jesus: a verdadeira conversão.

Muitos confessam a Jesus teoricamente  com sua boca, até defendem a Sua doutrina, mas percebe-se que não nasceram para uma nova vida, suas palavras não confessam que estão apaixonados por Jesus, não tem prazer em falar sobre Ele. Não morreram para o velho homem no batismo: foram “sepultados vivos”.

 

Qual o caminho para ter sucesso em adquirir no Apocalipse o conhecimento de Jesus que leva à conversão e a confirma?

 

O pastor Battistone, com rara felicidade, nos responde:

 

A tentativa para entender a mensagem do Apocalipse só será bem-sucedida se tivermos íntima e permanente comunhão com o Pai, com o Filho e com o Espírito Santo. Então a vitória de Jesus sobre o pecado poderá ser nossa, e a mensagem espiritual de Sua Palavra tornar-se-á uma experiência vivificante.” – LES892, p. 10.

 

Perceberam? A íntima e permanente comunhão com Deus é o único caminho do sucesso para conhecermos a mensagem mais importante do Apocalipse: a plena revelação de Jesus Cristo.

 

 

JESUS NO APOCALIPSE

 

O que o Apocalipse nos revela de Jesus?

 

Algumas passagens:

 

Jesus é o ser de aparência gloriosa e poderosa de Apoc. 1:12 a 17, cuja simples visão fez desmaiar a João, que o havia conhecido intimamente, quando andaram juntos na Terra e até se recostou sobre o Seu peito e que tem poder e vontade para realizar qualquer coisa para a tua salvação;

 

Em Apoc. 3:7 e 8, Jesus é o que mantém sempre aberto o teu acesso a Ele (a porta aberta de Apoc. 3:8), não interessa o que você tenha feito, em atos ou pensamentos, por mais terríveis ou imperdoáveis que você sinta que os seus pecados são. Mas é uma porta que não ficará para sempre aberta;

 

Em Apoc. 3:19, Jesus é aquele que te repreende e disciplina, quando necessário, quando você precisa de uma correção para voltar à realidade e não cometer erros maiores. Quando acontecer algum revés em tua vida, pergunte sempre: será que não é Deus querendo me ensinar alguma coisa, me corrigir o meu caminho?

 

Em Apoc. 5, Jesus é o Leão da tribo de Judá, forte e poderoso, que escolheu voluntariamente por amor a você tornar-se o Cordeiro que foi morto, e por isso é o único digno de abrir os sete selos do livro que contém o nome dos salvos entre toda a eternidade. O teu nome está neste livro? Você realmente aceitou a Jesus, ou você vem à igreja por uma questão social ou de família?

 

Em Apoc. 7:4, Jesus é aquEle que deseja selar você, colocando em você o Seu caráter, para que você tenha prazer na comunhão com Ele durante todo o sábado. Foi por isso que ele colocou o “lembra-te” no mandamento do sábado: para que pela comunhão do dia-a-dia você tivesse o prazer maior de compartilhar com Ele o dia inteiro de sábado.

 

Em Apoc. 7:14, Jesus é o Cordeiro cujo sangue é poderoso para tirar toda a culpa que você tenha, não importa o que você fez na sua vida. Ele perdoa você e te ajuda a se perdoar, tornando você plenamente justo, capaz de estar diante de Deus, se você O aceitar.

 

Em Apoc. 7:17 e 21:4, Jesus é aquele que enxugará dos teus olhos toda lágrima (21:4). Ele se preocupa com os teus sentimentos, pois ele é a fonte de todo o amor e toda a sensibilidade.

Talvez você tenha também a honra de enxugar algumas das lágrimas que escorrerão dos olhos de Jesus derramadas por causa daqueles que rejeitaram o Seu amor, o Seu caminho para a salvação e preferiram os seus próprios caminhos, que se revelaram, ao final, caminhos de morte e destruição....

 

Em Apoc. 11:3 a 12, Jesus é quem enviou as duas testemunhas, o Velho e o Novo Testamento, escritas para que você O conhecesse, para tua salvação;

 

Em Apoc. 12:7, Jesus é Miguel, que expulsou o diabo e seus anjos do Céu e certamente expulsará os demônios de perto de você se você clamar por socorro quando em tentação;

 

Em Apoc. 19:11 a 16, Jesus é aquele que surge no céu, seguido de todos os exércitos de anjos, com uma espada poderosa para resgatar você deste mundo, vindo agora não humilde e submisso, mas como Rei dos reis e Senhor dos senhores.

 

Finalmente, em Apoc. 21:1 e 2, Jesus é descrito como aquele que planejou e construiu a Nova Jerusalém e refará a Terra e o céu, para tua morada eterna.

Esta sim, e não o túmulo, é a morada eterna para quem aceita a Jesus e dedica a Ele toda a sua vida!

 

 

APELO

Meu prezado irmão, minha prezada irmã:

 

Qual a tua real relação com Jesus? Ele é o Senhor da tua vida, ou é apenas o tema das músicas que você gosta de cantar e das estórias que você gosta de ouvir aos sábados?

 

Há quanto tempo você não se entrega inteiramente a Deus e pede para que Ele seja o Senhor da tua vida? Lembre-se de que a religião verdadeira e intensa não é a êxtase de emoções e sentidos, mas a entrega sem reservas de todos os aspectos da vida a Deus, como alguém, muito inspiradamente, falou: “O importante não é o quanto você tem de Deus – isto é só conseqüência. O importante é o quanto Deus tem de você...”

 

“Que tempo já faz que não oras a Deus, contando-Lhe os segredos da alma?”

 

Há quanto tempo você não sente a paz e o sentimento de pertencer totalmente a Deus?

 

Você não quer aproveitar este momento, em que o Espírito Santo está falando a você, para refazer o teu pacto com Deus, entregando a Ele todos os aspectos da tua vida, sem reservas?

 

Se você concorda com isso, diga um amém silencioso, e numa curta oração silenciosa, refaça a sua entrega a Deus; peça que Ele aceite, receba, purifique e transforme a sua vida.

 

Amém.

 

------x------

 

 

APÊNDICE

 

TRÊS PROFECIAS INTERLIGADAS

 

Por exemplo: aprendi que as profecias das sete igrejas, dos sete selos e das sete trombetas estão intrinsecamente interligadas; dentro do ponto de vista historicista, as sete igrejas representam a evolução religiosa da era cristã, da pureza de Éfeso, nos tempos apostólicos, passando pela apostasia da quarta Igreja de Tiatira que representa a Idade Média, e o retorno à pureza doutrinária bíblica em Laodicéia, imediatamente antes da 2ª vinda de Cristo. A descrição das sete igrejas, além de também retratar muito bem as cidades da Ásia Menor onde se encontravam, também retratam a condição de cada um de nós, em nossa vida espiritual. Seja sincero com você mesmo: se você fosse uma das sete igrejas do Apocalipse, qual seria? Oxalá todos fôssemos como Filadélfia, a igreja do reavivamento bíblico/missionário, que não recebeu nenhuma repreensão.

Os sete selos mostra o mesmo período de tempo, mas sob o ponto de vista social, mostrando principalmente o processo gradual de apostasia.

Já as sete trombetas descrevem a história militar, com suas conquistas e destruições, em relação à igreja cristã. O interessante é que os autores adventistas interpretam que, de certo modo, haverá uma repetição dos fatos identificados às sete trombetas à semelhança do que já houve, antes da volta de Jesus.

 

Mas a evolução histórica da era cristã não é o ponto mais importante do Apocalipse. É muito importante para entendermos o momento em que estamos, mas existe algo mais importante ainda.

 

Alguns talvez achariam que seria desmascarar as duas bestas mostradas no capítulo 13, mas os que fazem isto de modo preferencial estão colocando a energia no lugar errado.

 

 

OS PARÊNTESES

 

Outro ponto importante que deve se ter em vista para compreender o Apocalipse é que existem três parênteses dentro do Apocalipse, mostrando os salvos por Jesus Cristo: No capítulo 7, a visão dos 144.000 selados, ainda na Terra, e da multidão dos glorificados, já no Céu, responde à pergunta de Apoc. 6:17: “Quem poderá suster-se no grande dia da ira de Deus?”. (E o selo de Deus é ... ...o caráter de Deus desenvolvido em cada um dos crentes, e o sábado é o sinal exterior disso nos últimos dias).

O segundo parênteses está em Apoc. 14 e mostra os 144.000 já no Céu. Esta visão é apresentada logo depois de Apoc. 13, onde é descrita a futura obrigatoriedade da aceitação da marca da besta. Mais do que infundir medo, esta visão tem o objetivo de inspirar confiança de que se renderem inteiramente a Deus receberão poder para superar qualquer dificuldade.

O terceiro parêntese está em Apoc. 15, e é colocado logo antes da narrativa do derramamento das sete pragas. Esta visão tem o objetivo de mostrar aqueles que não receberão as pragas, pois obtiveram vitória sobre a besta, a sua imagem e sua marca, isto tudo em contraste com o destino dos que irão receber as pragas.

O que realmente importa nessas inserções é que em meio a tantas calamidades e castigos, aqueles que se entregaram a Deus terão a Sua proteção. Nos três trechos é sempre visto o louvor dos santos ao Cordeiro e à sua salvação. O verso mais significativo é Apoc. 7:14, e descreve a essência dos salvos: “Estes são os que lavaram as suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro”.

E eu pergunto, com relação a tudo isso: Como você está em relação a Deus?

Você aprendeu a estabelecer uma relação diária com Deus, de modo que Ele possa transformar o teu caráter, as tuas vontades, as tuas emoções?

Quanto tempo você dedica a Deus?

Eu fui atraído por um livro na Feira do Livro : “Como ficar rico”, de Donald Trump, por causa de um capítulo que dizia: “Medite três horas por dia”. Comprei o livro, para ver melhor o que ele queria dizer. A gente pensa inicialmente: “Mas como, eu não tenho três horas para ler e meditar...!”.  Se você realmente acha isto, faça um diário aproximado, durante os próximos sete dias de como você usou estas 168 horas. Você vai ficar surpreso em ver quanto tempo fica ocioso ou na frente da TV. Começar a ler a Bíblia é difícil, às vezes, mas ir pra escola ou pro trabalho às vezes é mais difícil que isso, e nós vamos...!